P2GREeN

Proteção e Promoção da Biodiversidade de Guimarães – Património Natural

Ciente da importância de definir um plano estratégico de biodiversidade para proteger e promover as áreas urbanas, o Município de Guimarães criou o projeto P2GREeN – Proteção e Promoção da Biodiversidade de Guimarães – Património Natural. Trata-se de um importante e crucial Plano Integrado de Biodiversidade Urbana, que se pretende que adicione valor às áreas verdes da Cidade, para que os cidadãos possam apreciá-las e respeitá-las. Além disso, e não menos importante, o plano pretende contribuir para aumentar a importância das espécies autóctones.

Assim, sensibilizar, educar e envolver cidadãos e outros parceiros locais, como empresas privadas, universidades e comunidade escolar, através de uma liderança forte, é um dos principais objetivos.

O P2GREeN compreende duas etapas principais, nomeadamente o Diagnóstico/Caracterização e a Valorização de uma potencial área verde da cidade. Estas duas etapas principais são compostas por seis ações distintas, todas elas relacionadas, que podem ser implementadas por qualquer cidade a fim de promover e valorizar a biodiversidade das áreas urbanas. Na fase de diagnóstico/caracterização, estão contemplados o Plano de Controlo de Espécies Invasoras, o projeto de Educação Ambiental – Guimarães mais floresta e a criação de uma Base de Dados de Biodiversidade de Guimarães – BiodiversityGO!.

Após a caracterização, são designados um conjunto de projetos que visão a valorização das áreas, nomeadamente através da criação de Rotas da Biodiversidade, a criação de estruturas que facilitem a observação e contemplação de espécies (como é o caso dos Observatórios de Avifauna) e o estabelecimento de medidas que visem a Promoção do Turismo de Natureza.


Plano de controlo das invasoras

A introdução de espécies invasoras é uma das maiores ameaças à biodiversidade, sendo apontada como uma das cinco maiores causas de extinções de espécies. A cidade de Guimarães possui uma grande diversidade de espaços verdes, sendo a encosta da Penha um dos focos mais importantes de biodiversidade no concelho. No entanto, nos últimos anos foram descritas grandes manchas de ocupação de espécies vegetais invasoras que constituem um problema sério para a manutenção biodiversidade local. Assim, neste projeto propõe-se criar um plano de monitorização e ação para a eliminação espécies vegetais invasoras na encosta da Penha e posteriormente para vários pontos de interesse do concelho, de forma a garantir a riqueza da diversidade local e dos ecossistemas envolvidos.

Fotos


Guimarães mais floresta

O projeto “Guimarães mais floresta” criado no âmbito do programa ambiental PEGADAS, pretende o envolvimento de todos. Depois dos mais jovens, o desafio de plantar 15 mil árvores autóctones está aberto a associações e empresas, contribuindo assim para o desígnio da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. A iniciativa visa de reflorestação de zonas verdes do concelho.

Fotos

Notícias

 “Guimarães mais Floresta”quer plantar 15 mil árvores (link)

 “Guimarães mais Floresta” reforça plantações no Dia Mundial da Árvore  (link)

 “Guimarães mais Floresta” reforça plantações no Dia da Árvore  (link)

Vídeos

Clipping


Biodiversity GO!

O Biodiversity GO! apresenta-se como um desafio que pretende o envolvimento de toda a comunidade, quer na conservação, quer na promoção do património natural de Guimarães, contribuindo assim para o projecto Guimarães mais Verde que está na base da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020.

Fotos

Vídeo

Notícias

 “Concelho de Guimarães terá inventário digital da biodiversidade do seu território (link)

 “Laboratório da Paisagem quer construir base de dados da biodiversidade de Guimarães (link)

Clipping


Promoção do Turismo Natureza – Rota da Biodiversidade de Guimarães

Este projeto foca-se na correção e requalificação das rotas pedestres pré-existentes no concelho (Rota de S. Torcato, Rota da Citânia e Rota da Penha), e estabelece novos percursos, que possuem um elevado carácter histórico e paisagístico. Trata-se de uma rede de percursos que pretende estabelecer ligação entre o tecido urbano e rural, assim como, atender à promoção e preservação da biodiversidade. Para este propósito serão criadas zonas para observatórios de aves, tal como o já existente na Veiga de Creixomil.