O Município de Guimarães acaba de ser distinguido com a pontuação mais elevada no programa ECOXXI, sendo considerado o Município mais sustentável do país em 2017. Depois de ter entrado no Top 3 no último ano, Guimarães alcança, pela primeira vez, a liderança de um prémio que reconhece o trabalho dos municípios em prol do desenvolvimento sustentável do território, avaliado por mais de 40 entidades independentes. No Top 4 do ECOXXI 2017, seguem-se Loulé, Lousã e Águeda.

«É esta a nossa visão de futuro para Guimarães, do nosso caminho do desenvolvimento sustentável da Capital Verde Europeia», afirmou Domingos Bragança, Presidente da Autarquia. Guimarães obteve uma pontuação de 86% na análise dos 21 indicadores em apreciação, superando os 81% obtidos em 2016 e os 74% em 2015, deixando para trás municípios como Loulé, Lousã e Águeda, todos com pontuação acima dos 80%, ou Cascais, Vila Nova de Gaia, Leiria, Loures, Bragança, Viana do Castelo ou Famalicão, num total de 53 candidaturas.

O concelho de Guimarães aparece nos primeiros lugares na maior parte dos indicadores, sendo mesmo o primeiro Município em seis dos indicadores: “Produção e Recolha Seletiva e Valorização de Resíduos Urbanos”, “Emprego”, “Cooperação com a Sociedade Civil”, “Certificação de Sistemas de Gestão de Qualidade”, “Qualidade do Ar” e “Informação ao Público”. Também no indicador “Conservação da Natureza (Biodiversidade e Geodiversidade)”, Guimarães atingiu pela primeira vez o primeiro lugar de entre todas as cidades concorrentes.

O resultado alcançado, na mesma semana em que Guimarães submete a sua Candidatura a Capital Verde Europeia, realça o caminho realizado nos últimos anos, demonstrando um percurso crescente e sustentado nos vários indicadores de avaliação sobre a qualidade ambiental dos municípios, no qual será um elemento altamente valorizador.

No Top 4 do ECOXXI 2017, seguem-se Loulé, Lousã e Águeda. Na cerimónia desta quinta-feira, a Câmara Municipal de Guimarães esteve representada pelo seu Vice-Presidente, Amadeu Portilha, acompanhado pela Coordenadora Executiva da candidatura de Guimarães a CVE e pelo Presidente do Laboratório da Paisagem.

«Este é o resultado feliz de um trabalho árduo e exigente que se iniciou em 2013, agregando um conjunto de entidades que connosco partilham do entusiasmo de construir um futuro onde a proteção da natureza e do ambiente e o desenvolvimento sustentável sejam as marcas da nossa ação governativa», refere amadeu Portilha, acrescentando que «tudo isto só é possível porque ao nosso lado contamos sempre, durante este percurso transformador, com as Universidades, o Laboratório da Paisagem, as escolas, as Juntas de Freguesia e muitas entidades e associações ligadas ao ambiente, que acreditam neste novo desígnio e que contribuíram para esta distinção, que enche de orgulho todos os Vimaranenses».

Sobre o ECOXXI
Este programa visa, a exemplo de outros projetos da ABAE, reconhecer e divulgar boas práticas como forma de concretizar uma ação pedagógica “pela positiva”, neste caso concreto junto dos municípios, considerados como agentes privilegiados de promoção do desenvolvimento sustentável.

O programa realiza a identificação e atualização de objetivos-alvo concretizados através de múltiplas metas subjacentes aos critérios dos diversos indicadores. Pretende avaliar o desempenho, mas também o caminho a percorrer no trabalho de construção da sustentabilidade.

As metas estabelecidas são revistas anualmente e baseiam-se, de uma forma geral, na legislação nacional e comunitária, ou na existência de convenções e protocolos internacionais, objeto de ratificação pelo Estado Português. Nesta perspetiva, o ECOXXI apresenta-se como uma ferramenta útil à gestão municipal, ao contribuir para a monitorização e aferição de ações e políticas em diversas áreas da sustentabilidade.