No Dia da Floresta Autóctone, que se assinala esta terça-feira, 23 de novembro, o Laboratório da Paisagem entregou uma árvore nativa a cada um dos 85 estabelecimentos de ensino de Guimarães.

Esta ação, que visa sensibilizar e estimular a comunidade estudantil para a importância económica e ambiental da conservação das florestas naturais e a urgência de as proteger da destruição, insere-se no âmbito do projeto Limp.AR, financiado pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Entre as espécies entregues nas escolas públicas, profissionais e privadas, e que serão plantadas esta terça-feira, estão o abrunheiro (Prunus spinosa), o carvalho-alvarinho (Quercus robur), o castanheiro (Castanea sativa), o medronheiro (Arbutus unedo) e o pilriteiro (Crataegus monogyna).

A floresta autóctone constitui um património natural do nosso território pelo que assume uma grande importância a vários níveis. A preservação e a sustentabilidade são um imperativo.