O Laboratório da Paisagem de Guimarães recebe no próximo dia 27 de setembro a apresentação pública do Projeto FRISK. Direcionada ao público em geral e pescadores desportivos, a sessão está marcada para as 20h30 é gratuita.

Em destaque estará o “FRISK – Determinação de rotas de invasão de peixes introduzidos em ecossistemas dulciaquícolas: avaliação de risco”, bem como as “IV Invasões Francesas: o caso dos peixes exóticos existentes nos rios de Portugal”.

Filipe Ribeiro, do MARE- Centro de Ciências do Mar e do Ambiente, será um dos oradores presentes, para abordar a diversidade de peixes dos rios portugueses e a proveniência dos peixes não-nativos.

Os rios de Portugal albergam uma diversidade piscícola única e importante em termos de gestão e conservação dos ecossistemas de água doce. Nos rios Portugal, existem cerca de 45 espécies nativas, das quais 28 existem unicamente na Península Ibérica. Destas 28 espécies de peixes, 10 ocorrem exclusivamente em Portugal. Devido às diversas ameaças sobre estes ecossistemas, cerca de 60% dos peixes nativos dos nossos rios têm um elevado estatuto de conservação.

As espécies não-nativas são consideradas como a segunda causa de ameaça à biodiversidade aquática a nível global. Nos ecossistemas de água doce de Portugal, observamos uma taxa de chegada de animais não-nativos crescente sendo, atualmente, de três novas espécies de animais que a cada dois anos, em que uma dessas espécies é um peixe. Assim, só em Portugal, já foram introduzidas 20 espécies de peixes, constituindo 31% da fauna piscícola presente nos nossos rios e barragens.

No âmbito do Projecto “FRISK – Determinação de rotas de invasão de peixes introduzidos em ecossistemas dulciaquícolas: avaliação de risco” concluiu-se que alguns peixes não-nativos recentemente introduzidos têm uma proveniência direta de França.

Em representação da comunidade de pescadores participará também a Associação Portuguesa de Carp Fishing.