As quatro escolas secundárias de Guimarães aderiram esta segunda-feira, 30 de maio, à Associação Laboratório da Paisagem, assinando um protocolo de colaboração entre as instituições. Depois da adesão da AVE – Associação Vimaranense para a Ecologia, este é mais um passo na promoção da investigação científica, do ambiente e do desenvolvimento sustentável e na aproximação entre instituições de I&D e o meio educativo.

O protocolo de colaboração com as escolas secundárias Martins Sarmento, Francisco de Holanda, Santos Simões e Caldas das Taipas pretende «o reforço da cooperação pedagógica e científica entre as instituições, tornando possível a observação, pelos alunos e professores dos estabelecimentos de ensino, de processos de desenvolvimento de projetos conjuntos, estudos, estágios para alunos, exposições ou outras atividades diversas, que promovam a obtenção de conhecimentos com base em problemas reais complexos, na exploração de práticas, ideias e na pesquisa de soluções inovadoras», como salientou na cerimónia que teve lugar esta manhã o Presidente do Conselho Diretivo do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino, que anunciou que o próximo passo será dado com as empresas da região na área do ambiente.

Em nome das escolas secundárias, José Augusto Araújo, diretor da Secundária das Caldas das Taipas, enalteceu os protocolos assinados, porquanto o Laboratório da Paisagem é «um importante interface na promoção da educação para a sustentabilidade em múltiplas dimensões, constituindo-se como um instrumento de extrema importância para as escolas satisfazerem a sua missão». A Laboratório da Paisagem – Associação para a Promoção e Desenvolvimento Sustentável passa assim a contar com mais quatro parceiros essenciais no caminho de persecução da sua missão e dos seus objetivos na construção de um futuro mais sustentável.

Presente na cerimónia, o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, sublinhou a missão do Laboratório da Paisagem no caminho que Guimarães está a fazer «para um território ambientalmente sustentável e que integra uma candidatura a Capital Verde Europeia. À medida que concretizamos um conjunto de ações, materiais e imateriais, envolvemos mais entidades e pessoas e essa envolvência é fundamental». Domingos Bragança mostrou ainda a disponibilidade do Município de Guimarães para premiar, com bolsas de mérito, um conjunto de trabalhos em matéria de sustentabilidade ambiental das escolas secundárias.