A apresentadora de televisão, Fátima Lopes, foi o centro das atenções no lançamento do jogo “Eco Afonsinho”, numa sessão que decorreu esta quinta-feira, 20 de setembro, em Guimarães perante uma plateia constituída maioritariamente por crianças. Guimarães é a primeira cidade a adotar o jogo e reforça a sua estratégia de tornar a sustentabilidade um foco claro e prioridade máxima na educação das suas crianças.

Este jogo, pensado para crianças entre os 6-12 anos residentes na cidade, reporta uma história de D. Afonso Henriques que, em criança, é transportado para o futuro, ganhando noção dos problemas ambientais e eficiência energética que se vivem em Guimarães e assumindo a missão de os mudar. Inspirados por esta personagem, cada criança guia o “Afonsinho” por percursos locais reconhecíveis da cidade onde irão encontrar vários desafios (relacionados com energia, eficiência energética, reciclagem, entre outros) que equilibrem o meio ambiente e façam da cidade um local melhor para viver.

“É um projeto diferenciador que merece ser replicado por outros Municípios do país, na medida em que Guimarães está a dar um bom exemplo às suas crianças na forma como pretende educar para as questões da sustentabilidade e do ambiente. As crianças acabam por ser, igualmente, transportadoras desta mensagem para as suas famílias através de um jogo divertido”, apontou Fátima Lopes, enquanto embaixadora do “Eco Afonsinho”.

A vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, lembrou que este projeto está enquadrado numa perspetiva alargada do projeto ambiental Pegadas. “Acreditamos que o futuro ambiental é possível construir a partir das crianças, através da mudança paradigmas e é nesse sentido que há forte investimento na educação. Tal como fizemos com o processo da reciclagem, foi através das crianças que as famílias foram mudando os hábitos na reciclagem do lixo, procuramos agora que estas preocupações da sustentabilidade estejam sempre presentes na consciência das crianças aliado ao conhecimento do próprio território como está traduzido na matriz deste jogo Eco Afonsinho”.

Através da área de Gaming, a Câmara de Guimarães, a CIM do Ave, a Agência de Energia do Vale do Ave, o Laboratório da Paisagem e a Planetiers, apresentaram o jogo com o objetivo de promover pedagogicamente as melhores ações e boas práticas sustentáveis. O orçamento do projeto ronda os 100 mil euros, financiado pela ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos através da edição 2017/2018 do PPEC – Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica.

O jogo “Eco Afonsinho” será disponibilizado gratuitamente nas lojas on-line, durante o presente ano letivo e com o qual o Programa de Educação para a Sustentabilidade Ambiental de Guimarães – PEGADAS – entrará na versão 2.0.

*Fotos: Verónica Silva