Eric Ponthieu, anterior Chefe da Unidade de Transportes, Energia, Infraestrutura e Sociedade de Informação, elogiou o trabalho que Guimarães tem feito em matéria de mobilidade, mas defendeu que “as cidades têm de ter a capacidade de implementar medidas nos seus territórios”. O actual chefe da Unidade de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Ambiente do Comité Económico e Social Europeu, foi um dos oradores na conferência “Transporte e Desenvolvimento Sustentável na União Europeia”, que decorreu no Laboratório da Paisagem na última segunda-feira, organizada em conjunto pela candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, Câmara Municipal de Guimarães, Universidade do Minho e Laboratório da Paisagem.

Inserida no ciclo de conferências “Guimarães mais verde”, esta sessão sobre mobilidade teve ainda como palestrantes Paulo Ribeiro, docente da Universidade do Minho e membro da Estrutura de Missão da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, que destacou que “os mais jovens estão cada vez mais alerta para as problemáticas da sustentabilidade”, e Júlia Lourenço, também docente da universidade minhota, que abordou a “Naturbanização, Mobilidade e Capital Verde Europeia”.

Na sessão de abertura, o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, lembrou que “há um conjunto de processos em curso, que são sempre importantes, e quantos mais conhecimentos tivermos sobre a matéria melhor decidimos politicamente sobre essa matéria no concelho”. Paulo Ramísio, Pró-Reitor da Universidade do Minho, destacou os novos desafios, quando, por exemplo, “pela primeira vez há mais pessoas a viverem nas cidades do que nas aldeias”.