Aproveitar as pontas de cigarro recolhidas pelos EcoPontas espalhados por Guimarães para produzir tijolos. Tal e qual. É este o conceito do projeto E-tijolo, apresentado na última segunda-feira no Laboratório da Paisagem de Guimarães e que reuniu os restantes parceiros ISQ (Instituto de Soldadura e Qualidade) e CVR – Centro para a Valorização de Resíduos.

Na apresentação pública à imprensa foi mostrado o produto já desenvolvido, uma proposta de Diogo Pinheiro, engenheiro electrotécnico, vencedor de um concurso de ideias lançado pelo CVR. “A incorporação de pontas de cigarro em produtos cerâmicos era viável e, nessa medida, começámos por fazer esferas de argila que foi o elemento estruturante”, destacou André Matos, do CVR.

Na sessão de apresentação, o Presidente do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino, revelou estar já decidido que o E-tijolo vai ser aplicado no Observatório das Aves, que ficará localizado na Penha.

As pontas de cigarro – são necessárias cerca de 350 – representam 5% do peso do tijolo. O próximo passo desta iniciativa passa pela avaliação das propriedades mecânicas do produto.