Foram implementadas duas das medidas previstas no projeto Aqualastic. O rio Selho, junto ao Laboratório da Paisagem, tem já um protótipo de uma “EcoBarreira”, enquanto que em três sumidouros de águas pluviais da cidade foram colocados filtros de retenção experimentais. O objetivo é perceber o real impacto destas soluções, desenvolvidas pelo Laboratório da Paisagem, assim como caracterizar os resíduos encontrados.

Reconhecendo que o estado das linhas de água é, muitas vezes, reflexo do comportamento dos cidadãos, nomeadamente nas opções que tomamos, é fundamental contribuir para a educação e capacitação da população.

Assim, e de acordo com os objetivos do Aqualastic, foi desenvolvido e implementado um protótipo de uma “EcoBarreira”, que pretende contribuir para a redução do lixo flutuante presente no rio Selho, uma das principais linhas de água urbanas do Concelho.

“A estrutura visa duas funções principais: uma zona de retenção e acumulação de lixo flutuante, essencialmente resíduos plásticos de uso único, pontas de cigarros, latas etc., e uma zona de retenção e potencial tratamento da massa de água, suportado pelo conceito de ilha flutuante, na qual estão integradas plantas aquáticas que contribuem para a depuração da água. A cortiça foi o material utilizado na construção das ilhas flutuantes, suportado por um conceito desenvolvido pela empresa Bluemater (Cork Floating Island), possibilitando, deste modo, o cultivo de plantas em hidroponia, sendo que toda a EcoBarreira foi construída com base em materiais sustentáveis e sem qualquer impacto para o ecossistema aquático”, destacou Nuno Silva, investigador do Laboratório da Paisagem.

Já a colocação de filtros de retenção nas entradas dos sistemas de drenagem localizados na malha urbana, commumente designadas de sarjetas de águas pluviais, permitirão igualmente a retenção e caracterização de resíduos provenientes das escorrências urbanas, atuando-se, deste modo, a jusante das linhas de água.

O projeto Aqualastic: educar, reduzir e valorizar, resulta de uma candidatura do Laboratório da Paisagem ao Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Transição Energética. Ao longo das últimas semanas promoveu diversas iniciativas, nomeadamente uma exposição fotográfica instalada no centro da Cidade, uma instalação artística na Fonte do Toural, arte urbana e um conjunto de vídeos de sensibilização para a redução da utilização do plástico de uso único, publicados nas redes sociais do Laboratório da Paisagem.