No âmbito da Estrutura de Missão para o Desenvolvimento Sustentável – Guimarães 2030, Guimarães apresentou esta terça-feira o projeto “O Ave para Todos”, a ser implementado pelo Laboratório da Paisagem, com base num plano que assenta em três eixos: Educação e Sensibilização Ambiental, Investigação e Desenvolvimento e ainda Comunicação.

Na primeira fase do projeto, estão envolvidas as juntas de freguesia e escolas mais próximas do rio Ave em termos de localização. Estas serão alvo de ações teóricas e práticas baseadas na premissa de que uma população devidamente informada, torna-se mais crítica e atenta às problemáticas do rio, atuando em conformidade. No entanto, “O Ave para Todos” é aberto a toda a comunidade vimaranense que queira contribuir para a proteção do rio Ave como bem comum de Património Natural, sendo ainda abrangente a outros municípios.

O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, assinalou que “o rio Ave não pode ser seccionado, interessa que todos os concelhos que fazem parte da bacia hidrográfica do rio Ave, e seus afluentes, estejam em consonância com o que estamos a fazer e replicar as boas práticas, envolvendo todos os municípios da bacia hidrográfica do rio Ave”. O autarca de Guimarães realçou o papel da envolvência da comunidade na candidatura a Capital Verde Europeia, através das Brigadas Verdes, e nesse sentido reforça a estratégia de cooperação. “A criação de Brigadas Verdes foi algo muito apreciado pela Comissão Europeia e queremos que as nossas Brigadas Verdes estejam em força neste projeto, assim como as nossas escolas e juntas de freguesia”. Ao “ Ave para Todos “ será seguido do “Selho para Todos “ e do “ Vizela para Todos “.

A ação da comunidade, agora, será complementada através da intervenção do eixo da Investigação e Desenvolvimento através de “medidas que resultam de processos metodológicos científicos e precisos”. O projeto inclui a monitorização contínua do estado ecológico do rio Ave, em onze locais de amostragem distribuídos ao longo do concelho de Guimarães, em diferentes freguesias. Serão também exploradas oportunidades na área da economia circular que possam contribuir para melhorar a qualidade deste recurso hídrico.

No eixo da Educação e Sensibilização Ambiental, pretende-se estabelecer uma ligação sentimental entre o cidadão e o rio através da capacitação das juntas de freguesia, brigadas verdes e escolas com influência direta do rio Ave. Estão previstas mais de 100 ações de Educação Ambiental nas escolas, seguindo o modelo de “mini” conselhos consultivos desenvolvidos no seio da Estrutura de Missão para o Desenvolvimento Sustentável Guimarães 2030. Para as juntas de freguesia e brigadas verdes envolvidas serão realizadas 11 ações teóricas em áreas diferenciadas, tais como: ambiente urbano, ecologia, valor de paisagem, fiscalização, entre outras temáticas, com a participação de entidades creditadas.

O terceiro eixo deste projeto assenta na comunicação, a fim de divulgar todas as ações realizadas e garantir uma interação constante com os processos em desenvolvimento.

A coordenadora da Estrutura de Missão, Isabel Loureiro, deu conta de “um amplo trabalho nos projetos que estão a ser montados e que têm por base a premissa de cooperação entre as instituições. Estes três eixos devem-se ao facto de Guimarães afirmar-se na sensibilização ambiental, aliando o conhecimento à gestão de território e promovendo a participação das comunidades”.

O ano 2019/2020 é o ano do projeto-piloto O Ave para Todos, desenvolvido pela Câmara Municipal de Guimarães, no âmbito da Estrutura de Missão para o Desenvolvimento Sustentável – Guimarães 2030, a ser implementado pelo Laboratório da Paisagem, contando ainda com as parcerias da Vimágua, Agência Portuguesa do Ambiente e Águas do Norte.